Tempo de leitura, 3 min.

O Professor Leo Kouwenhoven é um importante membro da equipa quântica da Microsoft e lidera uma equipa de investigadores e engenheiros no Microsoft Quantum Lab em Delft, nos Países Baixos. Perguntámos ao Professor Leo por que motivo é tão difícil criar um computador quântico.

Por que motivo é tão difícil criar um computador quântico? Não temos todas as respostas a esta pergunta. Mas sabemos que no mundo dos átomos e das moléculas as regras que regulam o seu comportamento são quânticas. No nosso mundo – o mundo das bolas e das maçãs que caem – as regras são clássicas. O que não sabemos, por enquanto, é a relação entre estes dois conjuntos de regras.

O que precisamos de fazer, para criar um computador quântico, é utilizar o nosso conhecimento clássico para criar e controlar um sistema quântico. E isto não é fácil. Estamos a utilizar sinais e objetos clássicos, e a tentar “dar vida” ao comportamento quântico nesses materiais.

Mas não é a mecânica quântica dos átomos e das moléculas. Aqui utilizaremos chips eletrónicos por nós concebidos e controlados para que o comportamento dominante dos eletrões nesses chips ser quântico.

Informática quântica no seu bolso

Poderíamos ser levados a pensar que um computador quântico é muito pequeno, por utilizarmos partículas mais pequenas para criar um circuito quântico, mas isto não é inteiramente verdade. O próprio circuito quântico é microscópico. Mas o dispositivo necessário para o arrefecer e controlar é enorme. Pelo menos em comparação com os computadores que temos hoje em dia nos bolsos.

Porque motivo precisamos de arrefecer o circuito com equipamentos tão grandes? Temos de arrefecê-lo quase até ao zero absoluto, zero Kelvin, para o comportamento dominante nesses chips ser quântico.

À temperatura ambiente, todo o comportamento é clássico, e não quântico, onde os objetos estão em sobreposição. Ou seja, estão em duas posições diferentes em simultâneo. A estas temperaturas tão reduzidas, graças a refrigeradores de vários metros de altura, conseguimos que o comportamento seja quântico.

E não é uma coisa que se queira ter no bolso!

A abordagem ao mundo quântico da Microsoft

A abordagem da Microsoft à informática quântica é diferente. É o que se chama “topológica”. Tradicionalmente, a criação de um circuito quântico é como criar um castelo de cartas. Está a tentar criar uma grande estrutura ao colocar as cartas umas em cima das outras, onde o mais pequeno ruído ou interferência do exterior destruirá o castelo de cartas.

Com um circuito topológico, concebido com bits quânticos topológicos, temos algo que se assemelha mais a peças Lego. Com o Lego é mais fácil encaixar as peças e criar estruturas enormes sem enfraquecer a estrutura.

É esta a grande diferença entre a criação de circuitos com bits quânticos ou circuitos com bits quânticos topológicos. Um castelo de cartas cresce e fica mais instável, enquanto uma estrutura Lego cresce e fica mais robusta.

“O futuro é quântico”

A nossa abordagem de colaboração ao mundo quântico permite-nos acelerar a aprendizagem científica e elevar a informática a um novo patamar. Estes avanços científicos só são possíveis com a ajuda dos avanços da engenharia e da teoria.

Com um bit quântico topológico estável, podemos dimensionar rapidamente e ajudar a resolver alguns problemas da vida real com a informática quântica, por exemplo: robótica, alterações climáticas, questões de saúde, desafios financeiros ou puzzles de otimização, como engarrafamentos de trânsito, e muito mais.

Ao ligar um computador quântico à plataforma de cloud do Azure, podemos disponibilizar esta capacidade computacional a muito mais pessoas e capacitá-las, e a si, para fazerem coisas fantásticas.

Acreditamos que o futuro é quântico, e a Microsoft assume o compromisso de impulsionar esta revolução. E queremos que faça parte dela.

Sign up now for the quantum computing newsletter from Microsoft

Join us at the leading edge of opportunity

Descubra mais artigos relacionados por indústria:

Educação & Formação

  • PaRk School

    A PaRK International School utiliza o Minecraft para melhorar a aprendizagem dos seus alunos

    A PaRK International School quer que os seus alunos aprendam de uma forma mais colaborativa e ágil, interagindo e gerando impacto numa sociedade global. Para lhes proporcionar uma educação mais imersiva e interativa, a escola implementou o jogo educativo Minecraft: Education Edition em várias disciplinas do seu programa. Os professores estão a explorar novas formas de ensinar, tirando partido do interesse natural que os alunos já nutrem por jogos. As aulas tornaram-se assim mais divertidas para os alunos, o que estimulou a sua […]

  • Novo laboratório de computação quântica da Microsoft abre as suas portas para um mundo de possibilidades

    Novo laboratório de computação quântica da Microsoft abre as suas portas para um mundo de possibilidades

    Um novo laboratório de Microsoft da Universidade Delft de tecnologia é o último passo no sentido de tornar a computação quântica uma realidade.

Descubra mais artigos relacionados por dossier:

Digital Transformation

Histórias dos nossos Clientes

  • PaRk School

    A PaRK International School utiliza o Minecraft para melhorar a aprendizagem dos seus alunos

    A PaRK International School quer que os seus alunos aprendam de uma forma mais colaborativa e ágil, interagindo e gerando impacto numa sociedade global. Para lhes proporcionar uma educação mais imersiva e interativa, a escola implementou o jogo educativo Minecraft: Education Edition em várias disciplinas do seu programa. Os professores estão a explorar novas formas de ensinar, tirando partido do interesse natural que os alunos já nutrem por jogos. As aulas tornaram-se assim mais divertidas para os alunos, o que estimulou a sua […]